Monte Fitz Roy e Laguna de Los Tres | El Chaltén

Amante de trekking e paisagens espetaculares? Não deixe de incluir El Chaltén e sua famosa trilha ao Monte Fitz Roy em seu roteiro pela Patagônia Argentina. Esse pequeno povoado vai te conquistar por suas belezas e simplicidade.

Se Torres del Paine é o paraíso dos que curtem trekking no Chile, El Chaltén é na Argentina. Mas vou te confessar: até começar a viagem, eu nem conhecia esse tal de Monte Fitz Roy. Talvez até já tivesse visto uma das suas lindas fotos, mas, digamos, não liguei o nome ao lugar.

O pequeno povoado fica dentro do Parque Nacional Los Glaciares e tem muito mais a oferecer do que o combo mais conhecido: trilha ao Monte Fitz Roy, Laguna de Los Tres e Laguna Sucia. Entretanto, quando o assunto é internet, não tem muita estrutura. O que por um lado tem seu charme, mas acaba não se adequando à nossa realidade. Como não tínhamos nos planejado muito bem e por sermos dependente de um bom wifi para trabalhar, não tivemos como estender a nossa estadia por lá.

Sim, antes de sairmos de El Calafate, já tínhamos pesquisado e sabíamos que a internet em El Chaltén é temperamental. No entanto, enquanto estivemos por lá, ela praticamente não existiu. Mesmo em restaurantes não conseguimos bom sinal. Mas juro que se não fosse isso, teríamos ficado muito mais. A cidade é charme, cercada por montanhas.

Um casal de pica-pau no bosque

Um casal de pica-pau no bosque

El Chaltén

O novíssimo povoado de El Chaltén foi fundado em 1985, com a intenção de povoar a área da cordilheira na Província de Santa Cruz. O nome significa “montanha que fuma”, dado uma ação eólica que concentra nuvens em cima do monte Fitz Roy. Os índios a chamavam assim por pensar que era um vulcão, já que apresentava uma eterna “fumaça” em seu cume, mas que na verdade eram nuvens.

El Chaltén, se não fosse pela imponente silhueta do Fitz Roy seria uma típica cidade de interior, com suas casas baixas, ruas de rípios e poucos comércios.

Onde se hospedar em El Chaltén

Apesar da sua recente formação, possui vários hoteis/hostels. Entretanto, não se faz suficiente para hospedar todos os turistas, pelo menos não os mais baratos. Sem saber disso, deixamos para encontrar um lugar na hora.  Até achamos alguns hostels por 180 pesos argentinos por pessoa, mas obviamente estava lotado. O que acabou nos obrigando a pagar 150 pesos em um camping.

Ou seja, se está planejando uma viagem para lá, reserve o quanto antes a sua hospedagem para garantir bons preços e bons lugares. Faça a sua reserva através do nosso link do booking, você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o Para Onde Fomos a manter os conteúdos atualizados.

Como a cidade é bem pequena, a localização do seu hostel não faz muita diferença. Em menos de 15 minutos você percorre todo o centro a pé. Dessa forma, o que vai definir a sua hospedagem é o peso que você dá para conforto, comodidade e preço.

Trilha ao Fitz Roy - El Chalten

Trilha ao Fitz Roy – El Chalten

Onde comer em El Chaltén

Nós não somos as melhores pessoas para dar opção de restaurante, já que a maior parte das nossas refeições somos nós mesmos que fazemos. Contudo, o aniversário do Yu caiu justamente durante a nossa estadia na cidade, ou seja, não poderíamos deixar passar em branco. E como apaixonados por hamburguer que somos, não poderia ser nada diferente do B&B (burger e beer). O lanche é bem gostoso e o preço é ok.

Além disso, tem o Isabel Cocina Al Disco. Não fomos na filial de El Chaltén, mas conhecemos a de El Calafate. A comida é excelente e o preço é bom, considerando que as opções alimentam duas pessoas.

Voltando ao estilo econômico, a cidade possui dois mercados de “verdade” e duas mercearias. De modo geral, o preço não é nada convidativo e tem poucas variedades. Se puder, faça as suas compras em El Calafate — que também não é dos mais baratos, mas tem mais opções. Um dos mercados fica localizado bem próximo a rodoviária e o outro na San Martín (rua principal).

Uma observação: leve dinheiro em espécie. Como a internet é bem limitada, muitos lugares não aceitam cartão.

Como chegar em El Chaltén

De forma quase unanime, El Chaltén entra como um complemento a viagem dos que visitam El Calafate. É possível fazer um tour de um dia só saindo de El Calafate, mas que ao meu ver acaba ficando corrido. As outras possibilidades são: alugar um carro ou ir de ônibus. A viagem dura em torno de 3h e a estrada é boa em praticamente todo o trajeto.

Contudo, acredito não valer a pena alugar um carro para fazer um bate e volta. Supondo que você faça o trekking mais famoso que é para a Laguna de Los Tres. Essa trilha dura em torno de 8/9h para percorrer os 25 km. Salvo raras exceções, você vai voltar um tanto quanto destruído. Se não estiver acostumado com esse nível de esforço, voltar para El Calafate pode se tornar bem cansativo. Tente pernoitar na cidade.

Se for de ônibus, é possível comprar a passagem de forma antecipada pelo site da Plataforma 10. No entanto, é preciso ficar atento: não basta mostrar a confirmação da compra no celular, tem que ter o bilhete impresso e se deixar para fazer isso só quando já estiver no terminal, terá que pagar uns 4 reais por página para imprimir.

O primeiro ônibus sai de El Calafate às 7h30 e custa 450 pesos (janeiro/2017) e o último ônibus sai de El Chalten às 19h45, também por 450 pesos. Mas confira os horários e preços antes de se planejar.

Trilha Monte Fitz Roy

Trilha Monte Fitz Roy e Laguna de Los Tres

A trilha ao Monte Fitz Roy em El Chalten é considerada moderada-difícil. No entanto, tal classificação não espanta os turistas que povoam de forma demasiada o caminho. No período de verão não é incomum criarem filas para ir ou voltar na trilha. Em uma ultima pesquisa, chegou-se ao número de 120 mil turistas por temporada.

É possível iniciar a trilha de dois pontos distintos: desde o centro da cidade ou a partir da Hosteria Pilar. Em questão de distância não há muita diferença. no entanto, a segunda opção se destaca por ter menos subidas. É possível economizar 1h de pura subida com essa opção. Uma outra vantagem é poder começar por um lado e voltar pelo outro, tendo dois caminhos para admirar.

Nós fizemos a trilha em parceria com a empresa Walk Patagônia. Apesar do início da trilha ser um pouco confusa , a mesma não requer, de forma imprescindível, um guia. No entanto, como já falamos em outros textos, sempre que dá, optamos por passeios com guias para torná-lo menos superficial. Os guias são interpretes da natureza e nos contam com detalhes todas curiosidades e formação da cidade.

Laguna de Los Tres e Monte Fitz Roy

Laguna de Los Tres e Monte Fitz Roy

São uns 30 minutos de carro (14 km) desde o centro da cidade até a Hosteria, pelo caminho do Lago del Desierto. Não demorou muito para que começássemos a ser surpreendidos com lindas paisagem. Logo no início da trilha, já é possível admirar algumas geleiras como Marconi, Eléctrico e Cagliero. Com um pouco mais de 2,5h de caminhada chegamos ao Campamento Poincenot. Esse acampamento funciona como uma parada estratégica aos que desejam pegar o amanhecer na Laguna de Los Tres. É um local simples, só com espaço para acampar e banheiro (sem chuveiro).

Até esse momento a trilha é tranquila. Sem muitas subidas e com mata fechada boa parte do caminho — o que ameniza bastante a ação do vento. Depois caminhamos até um pequeno refúgio dos escaladores, que aproveitava para brindar o início da parte mais difícil da trilha ao Fitz Roy. Um pouco mais de uma hora de intensa e infindável subida, com um desnível de aproximadamente 450 m.

As pedras criam espécies de degraus intermináveis. Você sobe, sobe e sobe e quando acha que está chegando, começa avistar umas pessoas ainda distantes. Mas não se preocupe: saiba que toda a sua energia será renovada com as paisagens que o espera.

Laguna de los Tres e Monte Fitz Roy

Laguna de los Tres e Monte Fitz Roy

É um lugar incrivelmente lindo, mas as belezas não param por aqui. Coladinho na Laguna de Los Tres tem um outro presente da natureza: Laguna Sucia. Basta subir umas pequenas pedras que estarão ao seu lado esquerdo, bordeando o lago, e aproveitar esse lugar e sua beleza em estado bruto.

Tenho certeza que não irá se arrepender. É uma cor única, um verde forte, emoldurada pelo glaciar de mesmo nome. e uma beleza incomparável.

Laguna Sucia e Monte Fitz Roy

Laguna linda Sucia rs

Na volta, fizemos a trilha que leva diretamente a El Chalten, mas antes desviamos um pouco o caminho para conhecer a linda e tranquila Laguna Capri. Aqui também tem um outro acampamento — vou confessar que eu fiquei com um pouco de inveja dos que ali acampam, uma vista melhor do que a de muitos hotéis.

Laguna Capri

Laguna Capri

Como falei acima, a parte norte do Parque Nacional Los Glaciares — que é onde se localiza o Monte Fitz Roy  — tem muito mais a oferecer do que esse trilha. Deixo abaixo o mapa com algumas informações de forma resumida das demais trilhas.

Se quiser ver a imagem ampliada, clique nesse link 

mapa de trilhas el chalten

Informações gerais para visitar El Chaltén

  • Leve dinheiro em espécie, pois muitos lugares não aceitam cartão;
  • A internet é muito limitada e telefones não funcionam;
  • Faça a sua reserva com a maior antecedência possível;
  • Se possível, faça suas compras ainda em El Calafate. O mercado é caro e limitado;
  • Não é preciso pagar nenhuma taxa — ainda— para entrar no Parque Nacional Los Glaciares na parte Norte;
  • Visite a região entre outrubro e março. No inverno muitas trilhas ficam fechadas.
  • Só há um banco e as filas para saque são gigantes; e
  • Não há casas de câmbio.

Monte Fitz Roy, Laguna de los Tres e Laguna Sucia

Está planejando uma viagem? Fizemos uma planilha totalmente automatizada exclusivamente para auxiliar nossos leitores com o planejamento dos seus custos. Baixe agora a sua planilha!

* Fizemos o trekking ao Monte Fitz Roy e Laguna de Los Tres em parceria com a Walk Patagônia. No entanto, tal condição não interfere no relato das nossas experiências. Só divulgamos o que testamos e de fato gostamos. Muito obrigada por essa linda oportunidade.

Leia também:
Glaciar Perito Moreno | o que você precisa saber
Ushuaia | nosso primeiro grande objetivo
O que fazer em Ushuaia | Glaciar Vinciguerra e Laguna Esmeralda
O que fazer em Ushuaia | Expedição off road 4×4



  • Estela Nogueira Vicentini

    A Patagonia é realmente um caso à parte! Quantas fotos lindas! Nós não queríamos voltar de lá! São paisagens únicas e apaixonantes.

    • Juliana Noronha

      Exatamente, Estela!!!
      É uma paisagem muito especial. A gente também amou.
      Beijos!

  • christine re

    que post de tirar o fôlego, essas paisagens, vou ao chile agora, mas vou fazer os desertos em outra vez esse será meu destino certo!!! O chile é um país incrível!

    • Juliana Noronha

      Quando vem ao Chile? Estamos em Pucon agora, mas para semana que vem acredito que já estaremos em Santiago e depois deserto! De repente a gente se encontra pelo caminho.
      Beijos!!

  • Livia Melo

    Nossa, adorei esse lugar! Não conhecia, mas já vi que preciso incluir em uma viagem pela Argentina, é cada paisagem linda!

    • Juliana Noronha

      Precisa meeeeesmo, Livia!
      O lugar é incrível!
      Beeijos!!

  • Maria Carolina Diego

    Oi Juliana, eu amei as dicas. Acho esse mundo gelado muito interessante, mas ainda não visitei. E com certeza um dia usarei todas as dicas.. obrigada.

    • Juliana Noronha

      Que bom que gostou, Maria!! ♥
      Se precisar de mais dicas, estamos aqui.
      Beijos!

  • Alexandre Nunes

    Esse lugar ja estava na minha lista, mas depois de ler esse post ele ganhou posição kkkkkk Que incrível, parece pintura né?! Paisagens de tirar o fôlego. Obrigado pelas dicas mais que valiosas. Abraço e muitas viagens 🙂 Alexandre ( porondeviajo)

    • Juliana Noronha

      Oi, Ale!! Fico extremamente feliz!!
      Tenho certeza que não irá se arrepender!!
      Beijos!

  • Josiane Bravo

    Uauu um paraíso para quem ama natureza e paisagens exuberantes. Sou louca para conhecer este lugar e espero que isso aconteça em breve rs. Agora fiquei com mais vontade ainda depois de ler este relato. Adorei
    Beijos

    • Juliana Noronha

      Que bom que gostou, Josi!! Fico muito feliz!
      Vale a pena visitar! Se precisar de alguma ajuda, estamos aqui.
      Beijos!!

  • Mayara Rosa

    Que lugar espetacular! Amo as montanhas! Lindas fotos e roteiro muito completo. Muito bacana a planilha de vocês também! Abraço!

    • Juliana Noronha

      Obrigada, Mayara! A gente também ama, por isso a nossa passagem pela patagonia foi tão especial.
      Beijos!!

  • Renata Sucena

    Adorei o blog! Parabéns pelo layout. Adorei o post, quero muito conhecer essa área, essa paisagem me encanta. Vou ler mais no blog de vocês. Apaixonei pelas fotos!! Beijos

    • Juliana Noronha

      Obrigada, Re! O layout é obra do meu digníssimo namorado ♥.
      Fico muito feliz com seu comentário!
      Beijos!!

  • Pri Fujihara

    Que lugar incrível!!! E essa paisagem???
    Não tinha ouvido falar desses lugares ainda, mas amei as dicas e as fotos! Parabéns pelo post, bem esclarecedor e motivador!!

    • Juliana Noronha

      Fico feliz que tenha gostado, Pri!!
      Sem dúvidas, é um lugar incrível e que vale a visita.
      Beijos!!!

  • Juliana Noronha

    Olha, o ideal é trocar os dólares em El Calafate. Acredito que conseguirá melhores preços por lá.
    Agora o quanto levar, essa parte da nossa viagem foi bem econômica. Dormindo em camping e fazendo comida.
    Nesses moldes, acho que 100 dólares é o suficiente para umas duas noites, dá até para comer em restaurantes, sem contar com passagem.
    Beijos!

  • Juliana Noronha

    Tem que incluir mesmo. São destinos incríveis!!!
    Beeijos!

  • Trip A Doiss

    Aii que lindoo tudoo !! Morro de amores por esse lugar.
    Estive na Patagônia faz um tempinho, não consegui realizar quase nenhum passeio buá buá.. era aquelas pessoa bem leiga, passaram a perna em mim kkkk… Agora vendo seu post, até dói vendo o que perdi.
    Parabénsss!!, dicas valiosas Voltarei rs.. bjssss

    • Juliana Noronha

      Puxa, Mari! Que pena 🙁
      A patagonia é realmente linda e incrível.
      Volta sim, porque vale a pena!
      Beijos!!

  • Aline Laudelina Pires

    Nunca tinha ouvido falar, mas me apaixonei.. cada imagem mais encantadora que a outra. Acho que irei demorar um pouco para conhecer, pois nossas viagens são sempre com nossos pimpolhos e acho que não é bom ir com crianças. Adorei o post!

    • Juliana Noronha

      Apesar de ter visto algumas famílias com crianças, umas até de colo, também acredito que não seja a melhor opção.
      Mas deixa aí marcado, porque vale a pena conhecer!
      Beijos!!

  • Lorena Brito – E aí vamos nós

    Nossa, Ju, cada paisagem incrível, quantos dias são necessários para fazer esses passeios em El Calafate + El Chaltén?
    beijinhos, adorei o post!!!

    • Juliana Noronha

      Depende um pouco do que você quer fazer… em El Calafate a gente só fez o principal, que foi a visita ao Perito Moreno. Mas se estiver com um orçamento com mais folga, vale fazer a caminhada no gelo. Daí uns dois dias para El Calafate está bom.

      E El Chaltén é o paraíso para quem gosta de trilha. Chegando em um dia e indo embora no outro dá para fazer a principal que foi essa do Monte Fitz Roy. No entanto, eu recomendo reservar pelo menos dois dias, porque o tempo lá costuma ser bastante nublado e ninguém merece ir e não conseguir ver.

      Beijos!!

  • André Araújo

    Olá, como começa a trilha para o Fitz Roy? Você dorme na cidade e sai andando de lá?

    • Juliana Noronha

      Olá, Andre!
      Então, cara, o ideal é pegar um bus de el calafate para lá, você provavelmente vai chegar na parte da tarde.
      Dorme essa noite na cidade e sai no outro dia na parte da manhã para começar a trilha.

      Abraços!! 🙂